quinta-feira, 10 de agosto de 2017

DEUS ORDENA A SEUS FILHOS PARA SER SANTOS – 1 Pedro 1: 15-16

A palavra hebraica para santo é “kadosh” e significa “separado, sagrado”. O crente no Senhor Jesus Cristo é separado para Deus pelo Espírito Santo, desfrutando de uma posição santa diante de Deus em Cristo Jesus, com a obrigação de viver uma vida santa. “Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, 16 pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1:15-16). 
Deus tem apenas um intenção destinada para a humanidade – que é a santidade. Seu único objetivo é produzir santos. Infelizmente, essa sagrada confiança foi quebrada no Jardim do Éden; Jesus veio para nos salvar e restabelecer um novo relacionamento com Deus, porque desde o princípio Ele nos criou para ser santo. 
Uma vez que O fazemos Senhor e Salvador da nossa vida e nos tornamos Seus filhos, devemos nos lembrar continuamente que nosso propósito na vida é de viver uma vida santa. A obediência estrita à Palavra de Deus é a única prova de que estamos vivendo uma vida santa e confiando Nele. 
Jesus Cristo morreu para nos tornar santos. O propósito de Deus na morte expiatória de Seu Filho foi para nos salvar da pena do pecado e para nos separar para Deus, para conformar nos à imagem de seu Filho (Romanos 8:29). Nosso destino eterno é ser conformado à imagem de Deus em Cristo Jesus (1 João 3:3). 
Quando Jesus recusou-se a condenar a mulher surpreendida em adultério (João 8:1-11), e a perdoou, Ele ofereceu a ela o mesmo tipo de perdão que Ele oferece a cada um de nós: “Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados” (Atos 3:19). Esta mulher não poderia viver em vitória sobre seus pecados e passado pecaminoso até que ela aceitou Jesus Cristo como o Senhor absoluto de sua vida. 
Ao dizer: “Vá e não peque mais!”, Jesus não estava falando de perfeição sem pecado. Ele a estava prevenindo a retornar a escolha do estilo de vida pecaminosa. As Suas palavras ofereceram a misericórdia e exigiram a santidade.  
Com o perdão vem a expectativa de que não continuaremos no mesmo caminho da rebeldia. Aqueles que conhecem o amor de Deus, querem naturalmente obedecer-Le (João 14:15). 
Um passo em direção a Deus é uma modificação em direção a retidão, pureza, e uma vida sagrada (1 Pedro 1:16; Romanos 8:29). Não podemos experimentar o poder transformador da santidade sem ser mudado para sempre. 
Após este incidente, a mulher surpreendida em adultério não voltou a sua infidelidade. Ela conheceu Jesus. Ela não seria perfeita. Ninguém é. Mas ela mudou para sempre. Seus olhos foram abertos à depravação do que estava fazendo. O pecado já não reteve o apelo que tinha antes. Quando nos encontramos com Jesus, o pecado já não contém sua atração fatal. A graça de Deus muda as coisas. “Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele?” (Romanos 6:1-2). Quando nascemos de novo (João 3:3), o poder do Espírito Santo quebra o poder que o pecado já teve sobre nós (Romanos 6:6). Antes vivíamos apenas para nos agradar, mas quando fomos perdoados, nossa motivação muda. Agora vivemos para honrar a Deus (Gálatas 2:20). 
Deve ser o objetivo de todo cristão de “não pecar mais”, embora reconheçamos que, enquanto estivermos na carne, ainda tropeçaremos (1 João 1:8). O desejo de Deus para cada um de nós é de ser santo como Ele é santo (1 Pedro 1:16). Nós ainda pecamos, mas o pecado deixa de ser uma escolha do nosso estilo de vida (1 João 3:9-10). Quando falharmos, podemos ir a Deus e pedir perdão (1 João 1:9; 1 Pedro 4:1-2). Deus nos corrigirá, disciplinando-nos quando precisarmos (Hebreus 12:6-11) – pois Seu trabalho é conformar-nos à imagem de Seu Filho (Romanos 8:29). 
Uma vez mais, a única evidência solida de que somos verdadeiros filhos de Deus é um estilo de vida sagrado. “Todo aquele que nele permanece não está no pecado. Todo aquele que está no pecado não o viu nem o conheceu” (1 João 3:6). Como verdadeiros crentes nascidos de novo, nós não podemos continuar a pecar porque agora temos a própria natureza de Deus em nós, e o Espírito de Deus nos leva a uma vida santa porque Ele não nos conduzirá ao pecado e à desobediência. Se o Espírito nos conduz, viveremos uma vida santa. “Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus” (1 João 3:9). Portanto, o novo nascimento envolve uma purificação completa do pecado. 
Precisamos lembrar que não podemos andar com o Senhor e o mundo ao mesmo tempo. “Pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho” (Hebreus 12:6), e Ele nos disciplina para o nosso bem, para que possamos participar da Sua santidade (Hebreus 12:9-10). 
“Ele nos salvou e nos chamou para vivermos uma vida dedicada a Ele. Não foi por causa das nossas obras que Ele nos chamou, mas sim pela sua própria vontade e pela graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes do início dos tempos” (2 Timóteo 1:9). É nossa responsabilidade de esforçar-nos para ser santo: “Assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem” (1 Pedro 1:15). Se quisermos desfrutar de um relacionamento íntimo com Ele, devemos manter nossas vidas livres de todo o pecado. Jesus disse: “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5: 8). 
As Escrituras nos dizem: “Sem santidade, ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14). E o apóstolo João escreve: “E agora, filhinhos, permaneçam nele para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança e não sejamos envergonhados diante dele na sua vinda” (1 João 2:28). As mudanças físicas de nossa redenção acontecerão quando Cristo retornar e nosso corpo será glorificado porque “sabemos que, quando Ele aparecer, seremos como Ele”(Filipenses 3: 20-21; 1 Coríntios 15: 52-54). Teremos novos corpos glorificados feitos para viver no céu porque Jesus Cristo retornará. Portanto, devemos manter nossa vida pura e viver uma vida santa. 
A única prova da verdadeira dedicação ao nosso Senhor e Salvador é um desejo profundo de viver uma vida disciplinada e santa que honra a Deus. Se uma pessoa não está vivendo uma vida santa, ela não têm o direito de reivindicar as promessas de Deus que Ele deu a Seus filhos verdadeiros e redimidos. 
“Meus queridos amigos, todas essas promessas são para nós. Por isso purifiquemos a nós mesmos de tudo o que torna impuro o nosso corpo e a nossa alma. E, temendo a Deus, vivamos uma vida completamente dedicada a ele.” (2 Coríntios 7:1).