quinta-feira, 10 de agosto de 2017

ALGO SEMPRE MUDA


A Bíblia relata diversos encontros de homens com Deus.  E são destes encontros que nós humanos podemos conhecer um pouco de quem é Deus.  Ele se dá a conhecer – se revela.  Sem esse ato da sua exclusiva misericórdia e graça jamais sequer tatearíamos a imagem do divino.
Folheando as páginas sagradas, enquanto observo os diversos e sucessivos encontros do Criador com suas criaturas, é fácil perceber que também sempre o ser humano é tocado, atingido, mudado nestes encontros.  Algo sempre muda.
Quer constatar isso? Acompanhe as transformações que relacionei:
=> Jacó subiu o vale de Jaboque mancando – Gn 32:31
=> Moisés desceu do Monte Sinai com o rosto brilhando – Ex 34:35
=> Os lábios de Isaías foram queimados – Is 6:6
=> Uma mulher sentiu estancar seu fluxo de sangue – Mt 9:22
=> O jovem rico saiu cabisbaixo – Mc 10:22
=> Na entrada de Jericó, o cego começou a enxergar – Lc 18:43
=> Saulo caiu sem enxergar – At 9:8
E por aí vai...
Eu vou concordar com você que cada um destes encontros listados, sem detalhes, está envolto em circunstâncias diferentes, causas e motivos distintos, modus operandi peculiares e, principalmente, consequências e desdobramentos particulares.
Mas você tem que concordar comigo também.  O estar na presença divina, sagrada e gloriosa, é demais para qualquer mulher ou homem.  Não há como resistir.  Não é possível estar na presença augusta e de lá sair do mesmo jeito.  Deus sempre muda algo em nós.  A alma é atingida e o corpo é tocado.
É gostoso demais desfrutar da intimidade com o Senhor! Mas, como resistir ao peso de sua glória? 
Verdade também é que algumas vezes a presença de Deus se mostra suave como uma brisa (Elias assim percebeu – 1Rs 19:12); outras, ruidosa (como foi no dia de Pentecostes – At 2:2).  Mas toda vez que a percebemos e experimentamos, ela mexe, futuca, cutuca, muda.  E faz de nós diferentes: Outro homem.  Outra mulher.
Agora, posso lhe garantir que se deixar levar pela presença transformadora do encontro com Cristo vale muito a pena!
E então? Está disposto ao encontro com Deus? Quer ver o que ele vai mudar?

(Na imagem lá em cima, o quadro "Conversione di San Paolo" do italiano Caravaggio pintado no início do século XVII